terça-feira, 5 de julho de 2011

REI ARTHUR

Rei Arthur" Filme e livro que retrata a vida e os costumes dos Sármatas, povo nômade, iraniano, das estepes da Eurásia; mestres em cavalaria e falcoaria. Eram grandes guerreiros e ferreiros com lendária habilidade no arqueísmo. Eram da mesma região dos Citas, godos e hunos, descendentes de povos germânicos que migraram para o leste europeu, especialmente para as estepes russas. São antepassados dos povos nômades do Cazaquistão, Ubezquistão e outros. Foram para a Luzitânia e lá permaneceram por aproximadamente 10 anos. A sarmácia é uma antiga região da Europa, onde, hoje, ficam a Polônia e a Rússia. Sob o nome de sármatas, os antigos designavam todos os povos que habitavam a Polônia e a Rússia do oeste e do sul. O filem também conta a tragetória de Pelagius, Monge britânico, autodidata em Teologia, com profundo senso do dever e muita força de vontade. Apareceu em Roma, em meados de 400dC, contrariando as doutrinas de Agostinho e a hipocrisia de muitos cristãos. Devido ao fato de afirmar que o poder da vontade humana é decisivo e suficiente na experiência da salvação, sua posição teológica foi denominada como "monergismo humano", Pelágio afirmava que o homem possuía o poder volitivo para decidir entre ser salvo, ou não, e que o ser humano poderia decidir o seu futuro sem a graça de Deus. Afirmava com isso, que todo homem nasce moralmente neutro, sendo capaz de apenas por si mesmo, sem nenhuma influência externa, de converter-se a Deus, obedecendo-lhe, se assim o desejasse; defendia também a tese de que o pecado original de Adão afetara apenas a Adão, sendo que, se Deus exige perfeição das pessoas, em suas vidas, Ele também nos dá habilidade moral para isso. Mais tarde, também defendeu a tese de que a graça divina seria desnecessária para a salvação, embora facilitasse a obediência. Suas idéias foram condenadas oficialmente pela Igreja antiga nos concílios de: Cartago (418dC), de Éfeso (431dC) e finalmente no concílio de Orange II (529dC). Com isso, a Igreja ocidental tornou-se oficialmente Agostiniana, porém, essa oficialidade não era a mesma dentro da realidade de seus clérigos e Igrejas locais, e, devido ao fato de Agostinho possuir incoerências em sua doutrina, seus discípulos ajudaram com que o Pelagismo sobrevivesse, mesmo depois de sua condenação oficial. O Catolicismo, de acordo com a história retratada nesse filme, estabeleceu-se na ilha desde o período de suas invasões pelos romanos. Através do filme "Rei Arthur" podemos perceber que Roma, naquela época, era representada pela Igreja católica que tomava crianças, meninos sármatas, e as criavam para que, quando adultos, servissem seu exército já que eram chamados de "servidores do império" , e deveriam defender Roma e a Igreja. A igreja afirmava, através de seus representantes, que os pagãos deveriam morrer, tentando com isso, expandir o catolicismo na ilha; e aqueles que desafiassem a Igreja eram considerados como hereges, e desertores que não teriam suas almas salvas por terem quebrado seus pactos com Roma. Os cavaleiros de Arthur eram Sármatas, servidores do império romano que lutavam pela igreja a fim de receber, em troca, a liberdade, e poderem, com seus salvo-condutos viajarem livremente por toda Roma. Consideravam-se como "irmãos de guerra" que lutavam pelos seus destinos, livre arbítrio, igualdade, pelo direito de escolha e por suas terras e povos, pois acreditavam que todos eram livres desde que vieram ao mundo.


9 comentários:

  1. Opinião pessoal: Muito bom o filme, retrata sobre o que os cavaleiros realmente acreditavam, no livre arbítrio e não o tinham por causa da igreja, onde tinham que lutar contra sua vontade e não conseguiam a tão sonhada liberdade. Um filme que relata bem detalhadamente a história com a igreja atrás dos pagãos, forçando os cavaleiros lutarem!

    Opinião em relação a história: Com a igreja atrás dos pagãos, os cavaleiros não podiam fugir, nem desertar de suas missões. Esse filme mostra o que realmente acontecia com aqueles que não faziam a vontade de Roma. Também mostra como eram tratados aqueles que não acreditavam no imperador como divino, sendo empedrados para corrigir seus pecados, o que apenas fortalecia ainda mais a crença num único Deus. Mostra também que enquanto eles não fizessem a vontade de Roma não teriam liberdade e para mim é o mesmo que escravidão!

    William Krug
    Turma: 11
    1º ano
    Haydée Mello Rostirolla

    ResponderExcluir
  2. Achei o filme muito interessante,porque além de tratar de assuntos como a fé e a igualdade entre os homens,fala principalmente da questão do livre arbítrio.Essa tal liberdade que é do homem por direito mas que teve de ser conquistada pelos bravos cavaleiros.

    Tainá Oliveira
    1° ano
    Turma:11

    ResponderExcluir
  3. Um filme muito interessante, pois fala sobre a vontade de ter liberdade, da igualdade entre os homens, a igreja que impedia os guerreiros a ter a liberdade obrigando-os a lutarem contra a sua própria vontade.
    A esperança que fazia com que os guerreiros não desistissem de lutar e receber o direito de ser livre.


    Maikéle Oliveira
    1° ano
    Turma: 11

    ResponderExcluir
  4. O filme conta a historia de um menino que viveu no século XV aproximadamente 300 anos d.c e tinha um sonho quando criança, “que o mundo não tivesse guerras e que todos vivessem em paz com liberdade e livre arbítrio”.
    Mas quando cresceu percebeu que não era como ele pensava e viu que só conseguiria sua liberdade se lutasse por ela, e para isso teria que lutar guerras que não eram suas.
    A igreja, naqueles tempos, era muito rigorosa com aqueles que não eram cristãos e maltratavam as pessoas para que elas servissem a igreja, e fossem fieis a ela e a Roma.

    Nome: William Nascimento Severo
    Turma: 11
    Primeiro Ano

    ResponderExcluir
  5. O filme "O Rei Arthur" descreve a história de um cavaleiro da távola redonda,que planeja uma vida em paz, mas seus planos não dão certo pois ele é enviado para Grã-bretanha para defender o povo das ameaças externas principalmente dos saxões.Foi então que Arthur percebe q quando roma cair a Grã-bretanha precisará de alguem para guia-lá e defende-lá de ataques!então ele permanece la, e defende o povo das obreções politicas e religiosas,busca a liberddade de expressão do povo assim o proprio povo o denomina de "Rei Arthur".
    NOME:GABRIEL VIEIRA
    TURMA:11

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Eu achei o filme muito interessante e muito legal pois conta a história da lenda do rei Arthur,um comandante romano que com seus cavaleiros
    enfrentam os saxões que invadem a grã-bretanha.
    Os cavaleiros de Arthur (os Pagãos), lutavam por suas liberdades , mas o Papa (cristão) que comandava roma não queria a liberdade desses guerreiros , então mandou eles para uma ultima missão que era na verdade um verdadeiro caminho para morte . Para os romanos era mais fácil mandá-los para uma missão impossível do que dar suas liberdades.

    Opinião relacionada com o conteúdo estudado:
    No filme mostrou que o cristianismo teve muita influência no destino do mundo, sendo assim a maior e primeira religião, o Papa atuava como um rei e quem fosse contra a ordem do Papa seria reconhecido como desertor, então morreriam.

    ResponderExcluir
  8. Eu achei o filme "Rei Arthur" muito intenso, pois conforme você vai olhando, mais vai se interessando pela trama. O que me chamou a atenção no filme foi a atitude do Papa em negar a liberdade aos guerreiros Sármatas, que quando Arthur estava rezando ele mencionou que o Papa já havia negado a liberdade aos Sármatas inúmeras vezes.

    Opinião relacionada com o conteúdo estudado:
    O filme está totalmente relacionado com o que o professor mencionou na aula, que a Igreja era a principal instituição política que dava proteção para aqueles que se convertiam ao cristianismo, assim teriam total liberdade para seguir suas vidas dentro ou fora de Roma, também a queda do Império Romano, os avanços dos bárbaros e a expansão do cristianismo.

    Nome: Victor Antonio Borges Lisboa
    Turma: 12

    ResponderExcluir
  9. O filme "Rei Arthur" está parcialmente ligado ao conteúdo estudado, pois relata a queda do Império Romano, a invasão dos bárbaros em Roma e principalmente a briga entre a Igreja e os Pagãos, ou seja rei Arthur e seus guerreiros.

    Na minha opinião o filme foi muito interessante e de bom proveito, pois esclarece algumas duvidas sobre o conteúdo.

    Nome: Michel de Góis
    Turma:11

    ResponderExcluir