quinta-feira, 25 de outubro de 2012

SEPÉ TIARAJU E A CONSTRUÇÃO DO MITO



 
A vida real do cacique guarani Sepé Tiaraju não precisaria de lenda para ser grande. Alferes real do cabildo de São Miguel, ele foi o mais tenaz resistente à entrega dos Sete Povos aos portugueses, embora suas ações guerreiras nem sempre fossem bem ordenadas. As lendas que aumentaram os feitos de Sepé foram criadas por poetas e trovadores. Em 1769, apenas 13 anos após a sua morte, ele já é um dos heróis de Uraguay, poema anticlerical do português Basilio da Gama. Em várias versões, essas lendas atravessaram os séculos. Simões Lopes Neto, num poema de 1913 viu-o como um protegido de Deus. Cronistas da história também ajudaram a construir o mito. Manoelito de Ornelas divulgou a figura do guerreiro quase imbatível e Walter Spalding colocou em sua boca as seguintes palavras: “Esta terra tem dono”. Mansueto Bernardi defendeu a tese que o cacique, por ter lutado contra os invasores das missões, foi o primeiro “caudilho rio-grandense”.(Adaptado de a História Ilustrada do Rio Grande do Sul).

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário