segunda-feira, 24 de junho de 2013

HISTÓRIA DA GUIANA

O passado colonial da Guiana reflete-se tanto em sua população, composta sobretudo por descendentes de escravos negros e trabalhadores de origem indo-asiática, como em sua economia, dominada pelas plantações de cana-de-açúcar.
A Guiana, antiga Guiana Inglesa, está situada no nordeste da América do Sul. Limita-se ao norte com o oceano Atlântico, a oeste com a Venezuela, a sudoeste e sul com o Brasil, e a leste com o Suriname. Seu território, com uma superfície de 215.083km2, é praticamente desabitado, exceto numa estreita faixa litorânea. A Venezuela mantém uma reivindicação territorial sobre a região oeste do rio Essequibo, ou seja, sobre dois terços do território guianense.
O território da Guiana, povoado desde o século XIII por índios caribes e aruaques, foi explorado pelos espanhóis desde 1499. Entre os séculos XVI e XVIII, espanhóis, franceses, portugueses, holandeses e ingleses disputaram o controle do território. A partir de 1581, ano em que se estabeleceram em Demerara, os holandeses levaram vantagem, e a eles também se deve, em 1596, a fundação de Stabrook, a futura Georgetown.
A grande figura deste período foi o holandês Laurens Storm vans' Gravesande, que permitiu a livre imigração para todas as nacionalidades e manteve Essequibo à margem da revolta dos escravos de 1763. Em 1814, em conseqüência dos tratados de paz que puseram fim às guerras napoleônicas, o Reino Unido adquiriu, pela compra, as colônias holandesas de Demerara, Berbice e Essequibo, que se integraram em 1831 para formar a Guiana Inglesa. A abolição da escravatura em 1834 provocou a imigração de trabalhadores da Índia, China e África para a agricultura. Em 1860 teve início a colonização dos campos de Rupununi e, em 1879, o ouro foi descoberto: os dois acontecimentos aumentaram a imigração.
Em 1928 foi concedida à colônia uma autonomia limitada. A partir de 1953, quando se promulgou uma nova constituição que aumentava os direitos dos guianenses, a história do país foi tumultuada. O primeiro governo formado pelo Partido Progressista Popular (PPP), liderado por Cheddi Jagan, pareceu excessivamente pró-comunista ao governo britânico, que suspendeu a constituição recém-aprovada. Entre 1961 e 1964, ocorreram sérios distúrbios e uma greve geral que obrigou o exército inglês a intervir.

No dia 26 de maio de 1966, a Guiana conseguiu a independência e tornou-se membro da Comunidade Britânica de Nações. Forbes Burnham foi eleito primeiro-ministro e, em 1980, em conseqüência de uma nova constituição definida como socialista, chegou à presidência da república. Burnham morreu em 1985 e foi sucedido por Desmond Hoyte. Em 1992, elegeu-se Cheddi Jagan, líder do Partido Progressista Popular.
Fonte: Enciclopédia Barsa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário