terça-feira, 11 de junho de 2013

LUTERO

O mundo em reforma

 Quando os princípios essenciais de uma crença se encontram abalados pela própria fraqueza de seus principais representantes fica muito difícil sustentar essa doutrina. Durante a “longa noite” medieval (expressão questionada por muitos especialistas nesse período da história européia) a Igreja Católica utilizou-se de vários expedientes para manter-se poderosa e respeitada, mesmo que a duras penas, apesar dos desvios em relação à fé original que professava.
 Isso significou, na prática, a adoção de uma série de procedimentos que contrariavam frontalmente os mais elementares ditames cristãos, como os posicionamentos de Jesus em relação à misericórdia e sua defesa ardorosa da vida e da possibilidade de redenção dos pecados. Os tribunais do Santo Ofício da Inquisição executaram uma quantidade grandiosa de vítimas, muitas delas inocentes, simplesmente para garantir a obediência “virtuosa” a interesses escusos (pessoais ou materiais) de bispos e padres, paróquias e dioceses.
 A venda de indulgências (o perdão dos pecados), a simonia (o comércio de falsas relíquias religiosas), a falta de vocação e virtude dos clérigos (que se juntavam as ordens católicas para desfrutar de maior poder, influência e acesso a benefícios materiais), o controle do conhecimento por parte dos religiosos ou ainda o monopólio da Bíblia se tornaram cada vez mais incômodos para os fiéis, que a partir do ressurgimento das cidades e do comércio assistiram o surgimento dos primeiros movimentos de contestação ao domínio da Igreja.
 Martinho Lutero, diferentemente de seus antecessores no questionamento dos privilégios e desvios do clero católico (como John Huss ou John Wycliff, condenados pela Inquisição), teve a seu favor todo um contexto histórico favorável a mudanças. O advento das monarquias e estados centralizados rivalizava na disputa pelo poder terreno com o papado e os bispados. O crescimento da influência da burguesia era tolhido pela não aceitação da cobrança de juros em empréstimos ou vendas (lucros exorbitantes contrariavam os preceitos da Igreja no que se referia aos negócios alheios, nunca aos acertos feitos pelos próprios religiosos).
 Se não bastassem todas essas mudanças, o povo estava exaurido pelas altas cargas tributárias feudais a que era submetido e via a Igreja como sua inimiga pela cobrança do dízimo e de algumas outras taxas. Além do que o discurso católico não era condizente com a prática, enquanto os camponeses passavam fome e necessidades várias, muitos clérigos viviam de forma abastada e demonstravam desdém pela penúria popular.

Filho do seu tempo, educado dentro da própria Igreja, de espírito crítico arraigado e altivo, Lutero decidiu confrontar o Papa e o catolicismo em favor de mudanças que viessem a preservar o cristianismo. Provocou uma autêntica revolução nos hábitos e costumes. A partir de suas 95 teses originais surgiram outras linhagens reformistas e o mundo cristão nunca mais foi o mesmo...

O Filme
 Martinho Lutero (Joseph Fiennes, de “Shakespeare Apaixonado”) é um jovem padre iniciando sua carreira religiosa e que se confronta, logo no início de sua vida espiritual, com a contrariedade do pai quanto a sua decisão de entrar para o clero. Não só a oposição paterna o deixava angustiado quanto aos rumos de seu trabalho na Igreja, mas também em virtude de suas andanças e viagens a serviço da religião que o colocaram em contato com uma realidade de vícios e desvios entre os clérigos.
 Em viagem a Roma, percebe que os padres pouco se importam com a miséria dos camponeses e que o luxo e enriquecimento da Igreja passou a prevalecer como objetivo de muitos de seus companheiros de batina. A luxúria e a lucratividade podiam ser percebidas pelas ruas da cidade que era sede do catolicismo. Dizia-se que o próprio Papa era mais afeito a uma vida faustosa do que aos sacrifícios espirituais que se esperavam dele...
 De volta a Alemanha, completa seus estudos em teologia e direito. De posse desses novos conhecimentos começa a lecionar e se torna um crítico feroz de práticas como a venda de indulgências, a falta de vocação para o sacerdócio ou a simonia. Escreve suas 95 teses e as torna públicas para que todos tomem conhecimento dos erros da Igreja Católica.
 Começavam as perseguições que iriam condená-lo a excomunhão e a perseguição pelos seguidores do papado. Com a inquisição em seu encalço foi preservado pelos interesses das novas forças em ascensão no contexto europeu moderno. Sua história promoveu o surgimento de novas religiões cristãs, cindiu o império católico apostólico romano e definiu as bases do mundo que viria a partir de então. Vale a pena conferir.
Webcine.

Nenhum comentário:

Postar um comentário