segunda-feira, 4 de novembro de 2013

THOR

A mítica figura de Thor encarnava a fúria da natureza como senhor dos ventos, das nuvens e das tormentas, e representava as virtudes guerreiras.
Thor, cujo nome significa "trovão", era um deus comum aos antigos povos germânicos. Costumava ser descrito como um gigante de barba vermelha e força extraordinária, sempre armado de um martelo mágico, Miölnir, que com seus golpes evocava o trovejar dos céus. Thor habitava o palácio Bilskirne, no lugar chamado Asgard, situado no céu entre vastas nuvens escuras, mas ligado à Terra pelo arco-íris.
Inferior em hierarquia a Odin, deus supremo que algumas tradições consideravam seu pai, Thor tinha como principal incumbência proteger homens e deuses, inclusive sua mãe, a deusa-terra Jörd, contra os gigantes e contra a terrível serpente Jörmungandr, símbolo do mal. Seu destino seria o de perecer com Jörmungandr, em combate, no Regnarök, fim do mundo dos deuses e dos homens.
A popularidade de Thor, cujo culto entre os escandinavos superou o de qualquer outro deus, inclusive Odin, refletiu-se nos relatos míticos, na freqüente representação de seu martelo nos monumentos e nos numerosos topônimos derivados de seu nome. O martelo, que tinha a propriedade de nunca errar o alvo e retornar às mãos do deus como um bumerangue, também era utilizado para consagrar os recém-nascidos e os casamentos, o que parece indicar uma associação indireta do deus com os ritos de fertilidade.

A figura de Thor foi às vezes identificada com a do deus romano Júpiter, razão pela qual o nome da quinta-feira nas línguas derivadas do latim é jeudi, jueves, giovedì, de dies Jovis (dia de Júpiter), e na língua inglesa é Thursday, ou dia de Thor, palavra de origem germânica.
Fonte: Enciclopédia Barsa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário