quarta-feira, 13 de agosto de 2014

O DIA "D"

No dia 6 de junho deste ano, completam-se 70 anos da invasão dos aliados à Normandia, no norte da França, data que ficou conhecida como o Dia D da Segunda Guerra Mundial, também chamada de Operação Overlord. A batalha mobilizou cerca de 10 mil aviões, 6 130 navios, 156,5 mil soldados – 23,5 mil desses transportados por via aérea – e centenas de veículos blindados. Com a vitória dos aliados, foi aberto um rombo na ocupação alemã na Europa continental que, em três meses, permitira os primeiros ataques por terra ao território alemão.
 Nunca antes ou depois houve outra operação que se comparasse ao Dia D, mais por sua complexidade que por seus números absolutos. Desembarcar soldados e tanques em praias tomadas pelo inimigo é algo tão difícil que ainda hoje é evitado a qualquer custo – tanto que, na Guerra do Iraque, os Estados Unidos travaram várias batalhas diplomáticas para fazer a invasão por terra, a começar de países vizinhos. Na Segunda Guerra, a ocupação só foi possível quando o Terceiro Reich já havia perdido o controle aéreo e naval da região, e os aliados, após terem quebrado o código de suas comunicações secretas, conseguiram desviar-se com ataques de mentira. No fim do dia, os aliados haviam perdido cerca de 10 mil soldados, e os alemães, entre 4 mil e 9 mil.
 A importância do Dia D está mais relacionada à divisão de influência na Europa no pós-guerra que propriamente à queda do Terceiro Reich. A maioria dos historiadores acredita que Hitler já estava condenado em junho de 1944. Sem a invasão, o mais provável é que os russos vencessem sozinhos, abrindo o caminho para uma Europa comunista.(Fábio Marton).


Nenhum comentário:

Postar um comentário